Razões para conhecer Santiago do Chile

As razões para se conhecer Santiago, são muitas.

A capital chilena está envolvida por cordilheiras, de um lado a encantadora Cordilheira dos Andes e do outro a Cordilheira da Costa. Santiago está num vale, é plana e pode ser percorrida a pé, principalmente seu centro histórico, com ruas exclusivas para pedestres. O metrô também é um ótimo meio para ser utilizado, prático e fácil. No centro também há um morro bem famoso, o Santa Lucía e próximo deste o San Cristóbal, ambos dão uma vista espetacular da cidade.

Cerro Santa Lucía (Av. Libertador Bernardo O’Higgins (Alameda), 499)

Do alto desta colina dá para ter uma vista panorâmica da cidade. Para chegar ao topo é necessário subir muitos degraus, mas compensa qualquer esforço porque a vista é linda. Durante a subida o caminho também é encantador, há estátuas, canhões, fontes, uma igrejinha e lindos jardins. É um cartão postal a olha nu, pois você consegue ver os edifícios antigos misturados com os modernos e ao fundo a cordilheira, com montanhas enormes que parecem tocar o céu.

Entrada do morro.
Entrada do morro.
Vista do Cerro Santa Lucía.
Vista do Cerro Santa Lucía.

Palácio La Moneda (Calle Moneda, s/n)

O palácio conta com uma arquitetura neoclássica maravilhosa e é parada obrigatória aos turistas. Em dias intercalados, as 10 horas da manhã, ocorre a troca de guardas, com uma banda militar e a marcha típica dos “carabineiros” chilenos, elegantemente trajados. “Carabineros” é como a polícia chilena é chamada e a troca dos guardas na Plaza de la Constitución dura por volta de 30 a 40 minutos. O palácio foi construído em 1786, inicialmente para ser uma fábrica de moedas do país, daí o nome e se tornou sede do governo somente em 1973.

Palacio de la Moneda
Palacio de la Moneda

Centro Histórico

Bem próximo ao palácio La Moneda há diversos pontos turísticos para se visitar e podem ser percorridos a pé.

Apenas a algumas quadras está a famosa Plaza de Armas, onde se contra a Prefeitura, o museu histórico nacional, o correio central e a Catedral.

A praça surgiu onde existia uma kancha inca e em conjunto com a cidade em 12 de fevereiro de 1541. Nesta kancha inca existia duas variantes do “camino del inca” que partiam do vale do Aconcagua para se juntar novamente nas proximidades do cerro San Cristóbal.

Ao fundo a Catedral.
Ao fundo a Catedral.

Aproximadamente a 4 ou 5 quadras da praça de armas está o mercado central, com venda de peixes e as típicas centollas (um tipo de caragueizo enorme) e uma porção de restaurantes temáticos. Atravessando a avenida estão diversos barracões com lindas frutas e verduras, morangos gigantescos que preenchem metade da palma da mão, muitas cerejas e pomelos, também típicos da região. Um pouco a frente está o parque florestal, o museu de belas artes e chega-se novamente ao cerro Santa Lucía. Alí na estação Santa Lucía você pode pegar o metrô até o Cerro San Cristóbal, descendo na estação Baquedano.

Restaurantes do mercado central
Restaurantes do mercado central

Cerro San Cristóbal (Calle Pío Nono, 450, Bellavista)

Existem duas maneiras de subir o cerro San Cristóbal, por funicular (espécie de elevador) ou de carro circulando o morro (passeio lindo). Do alto do cerro se tem a vista panorâmica mais espetacular de Santiago, com seus vários mirantes. Ficar ali contemplando a bela cidade com a cordilheira ao fundo é maravilhoso, porém devido a poluição nem sempre é possível vê-la, muitas vezes vemos apenas sua silhueta.

Vista do Cerro San Cristóbal (sem poluição)
Vista do Cerro San Cristóbal (sem poluição)

Subindo mais alguns degraus temos a estátua da Virgem da Imaculada Conceição, com seus 14 metros de altura e um santuário, uma igreja ao ar livre. Esta área fica no Parque Metropolitano de Santiago, e tem um parque infantil, piscinas, jardim japonês, zoológico, centro cultural, um teleférico (desativado) e bosques para piqueniques.

Imaculada Concepción no topo.
Imaculada Concepción no topo.

O morro fica no bairro Bellavista, lugar boêmio, cheio de bares e restaurantes e um lindo espaço chamado “Patio Bellavista” para ir almoçar, jantar ou tomar um café. É um lugar agradável e aconchegante para passar um tempinho.

Quando se visita os morros é muito comum encontrar uma bebida chamada “mote con huesillos”, são grãozinhos de trigo cozidos com pêssego desidratado e muito açúcar, fica como a calda dos pêssegos enlatados com os grãos de trigo. A bebida é servida num copo com um pêssego, grãos de trigo e bastante calda. Os chilenos gostam muito, porém achei muito doce.

Mote con huesillos
Mote con huesillos

Enfim…

Santiago do Chile é uma cidade que vale a pena conhecer, um lugar de muito cultura, arquitetura antiga e moderna ao mesmo tempo, com muita história e pessoas simpáticas. Há muito para conhecer em Santigo, poderia escrever páginas e mais páginas sobre está cidade, mas porque você não tira uns dias e vai conhecer?

Outros lugares para conhecer:

1. Museu de Arte Precolombino;

2. Café com pernas (tradicional);

3. Parque O’Higgins;

4. La Chascona (casa do escritor Pablo Neruda, prêmio Nobel de literatura);

5. Bairro Providência e Las Condes (onde se encontra o restaurante giratório panorâmico);

6. Passeio a Viña del Mar e Valparaiso;

7. Visita as vinícolas;

8. Visita as cordilleiras e estações de esquí;

9. Cajón del Maipú e Embalse El Yeso;

10. Banhos termais.

No próximo post escreverei sobre Viña del Mar e Valpo. Até a próximo!